betano

SEÇÕES

TRE-AM cassa mandato de Silas Câmara, líder da bancada evangélica

Tribunal teve quatro votos favoráveis e dois contrários à cassação de Câmara.

TRE-AM cassa mandato de Silas Câmara, líder da bancada evangélica | Reprodução
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

Nesta quarta-feira (31), o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) cassou o mandato do deputado federal Silas Câmara (Republicanos-AM) devido à captação de recursos ilícitos e abuso de poder econômico durante a campanha de 2022.

Tribunal teve quatro votos favoráveis e dois contrários à cassação de Câmara. O parlamentar, que preside a FPE (Frente Parlamentar Evangélica) do Congresso Nacional, disse que vai recorrer da decisão junto ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Silas negou veementemente qualquer irregularidade, reafirmando seu "compromisso com a defesa legal de seu mandato, conquistado de forma limpa e honesta". Ele destacou que a decisão de cassação foi tomada por uma pequena maioria de votos, contrariando a posição anterior do próprio TRE-AM, que havia aprovado as contas do deputado, embora com ressalvas. 

Defesa também afirmou que Silas permanecerá "no exercício pleno de suas responsabilidades enquanto aguarda a apreciação do caso em definitivo pela Justiça Eleitoral".

A maioria dos juízes do TRE-AM acolheu pedido de cassação apresentado pelo Ministério Público Eleitoral. O órgão acusou Silas Câmara de irregularidade no fretamento de aeronaves durante a campanha de 2022, quando ele foi reeleito ao cargo.

Câmara é casado com a deputada federal Antônia Lúcia Câmara (Republicanos-AC) e teria contratado voos entre municípios do Amazonas e alguns com destino ao território acriano. A prática, por si só, configuraria irregularidade, uma vez que os recursos eleitorais deveriam ser utilizados apenas para campanha no território amazonense. Além disso, o órgão ministerial alega que as aeronaves permaneceram por menos de uma hora no destino, não permitindo tempo hábil para a realização de ações de campanha.

Decisão leva à perda do mandato do também deputado Adail Filho (Republicanos-AM). Em seu parecer, o relator da ação, juiz Pedro Araújo Ribeiro, havia solicitado que, em caso de aprovada a cassação, os votos de Silas não fossem computados para fim de quociente eleitoral. Com isso, Adail perde a vaga conquistada.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
betano Mapa do site