betano

SEÇÕES

Histórico: Câmara dos Deputados aprova texto da reforma tributária

Projeto está em análise no Congresso Nacional desde o início do ano e é prioridade para o governo federal

Câmara dos Deputados aprova Reforma Tributária | Reprodução TV Câmara
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta sexta-feira, 15, em dois turnos, a proposta de emenda à Constituição (PEC) 45/19, da reforma tributária. Foram 365 votos a favor, 118 contrários e uma abstenção, no segundo turno. A matéria está sob análise do Congresso Nacional desde o início do ano, e chegou à etapa final de tramitação.

A sessão desta sexta é extraordinária e ocorre de forma semipresencial, ou seja, parlamentares puderam votar pelo aplicativo InfoLeg. No primeiro turno, a matéria recebeu 371 votos favoráveis, 121 contrários e três abstenções. O quórum foi de 496 deputados.

A matéria passou pela Câmara dos Deputados no primeiro semestre, e teve relatoria de Aguinaldo Ribeiro (PP-PB). No Senado, recebeu relatoria de Eduardo Braga (MDB-AM), que fez diversas alterações no texto. Como a matéria acabou alterada, ela precisou retornar à Câmara.

A votação ocorreu após uma extensa reunião entre Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (PSD-MG), na noite de quinta-feira (14/12). Os relatores Aguinaldo Ribeiro e Eduardo Braga também participaram do encontro, mas não houve acordo e a votação, que estava prevista pra quinta, foi adiada.

A demora para análise do texto ocorreu devido à dificuldade de os parlamentares encontrarem um acordo em torno da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para taxar os produtos fabricados fora da Zona Franca de Manaus, no Amazonas. Após negociações ao longo da quinta-feira (14), parlamentares decidiram retirar a Cide do texto, mas manter a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) na Zona Franca.

Outro item que ainda estava em discussão era a manutenção de incentivos fiscais para o setor automotivo do Nordeste. O tópico foi rejeitado na primeira votação na Câmara, mas acabou sendo aprovado no Senado e, agora, voltou para Câmara. Na análise dos destaques, os parlamentares acabaram por aprovar a manutenção dos incentivos fiscais para o setor automotivo no Nordeste.

O principal ponto da reforma tributária é a unificação de cinco tributos que incidem sobre produtos (PIS, Cofins e IPIs federais, ICMS estadual e ISS municipal) para um só, chamado Imposto sobre Valor Agregado (IVA), subdividido em federal e estadual/municipal. Também há um imposto seletivo para produtos potencialmente nocivos à saúde e ao meio ambiente.

O Imposto de Gestão Federal é a Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), que vai unificar IPI, Pis e Cofins. Já o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) terá gestão compartilhada entre estados e municípios e vai unificar ICMS (estadual) e ISS (municipal).



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
betano Mapa do site