betano

SEÇÕES

Dor nas costas frequente pode ser sinal desse câncer pouco falado

O sintoma é frequentemente subestimado e a neoplasia pouco falada, embora bastante agressiva

No Brasil, o câncer de pâncreas representa 2% de todos os tipos de câncer, sendo responsável por 4% do total de mortes por câncer | Reprodução: Internet
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

Considerada uma doença bastante agressiva e quase sempre silenciosa, o câncer de pâncreas não é tão falado quanto deveria. Poucos sabem que um sinal surpreendente pode ser o indicativo desse tumor: a dor nas costas. De acordo com especialistas, essa dor frequentemente localizada na região lombar, está relacionada à pressão exercida pela neoplasia nos órgãos circundantes e nervos próximos ao pâncreas

No entanto, não é todo mundo que leva essa manifestação a sério. Geralmente, o sintoma é frequentemente subestimado, levando a exames para a coluna que, na maioria das vezes, não revelam claramente o problema subjacente. No Brasil, o câncer de pâncreas representa 2% de todos os tipos de câncer, sendo responsável por 4% do total de mortes por câncer

Quais outros sintomas para ficar em alerta?

A dor nas costas de forma persistente, mesmo após o tratamento para dores lombares, pode ser um grande indicativo desse tumor. No entanto, é vital compreender que a dor nas costas pode ter diversas origens e não deve ser automaticamente associada ao câncer de pâncreas. Além da dor nas costas, existem outros sinais que devem ser observados como alertas importantes:

  • Icterícia: Coloração amarelada na pele e mucosas.
  • Alterações nas Excreções: Mudanças na cor da urina e das fezes.
  • Dores Abdominais: Desconforto persistente na região abdominal.
  • Perda de Peso Sem Causa Aparente: Perda de peso inexplicável.
  • Náuseas e Vômitos: Frequentes episódios de enjoo e vômitos.
  • Indigestão: Dificuldade persistente na digestão.
  • Fadiga e Perda de Apetite: Sensação contínua de cansaço e redução do apetite.
  • Aparecimento Repentino de Diabetes: Desenvolvimento súbito de diabetes, especialmente em pessoas sem histórico da doença.

Fatores que podem desencadear o câncer de pâncreas

O órgão, localizado atrás do estômago e abaixo do fígado, desempenha um papel crucial na produção de enzimas digestivas e na regulação dos níveis de glicose no sangue. O câncer de pâncreas surge quando as células pancreáticas sofrem mutações em seu DNA, levando a um crescimento descontrolado e à sobrevivência dessas células anômalas.

Os principais fatores que podem desencadear o desenvolvimento para o câncer de pâncreas incluem o tabagismo, obesidade, diabetes tipo 2 e pancreatite crônica. Além disso, a predisposição genética, evidenciada por histórico familiar de câncer de pâncreas ou de pancreatite hereditária, também é uma variável importante a ser considerada.

Tratamento

O tratamento para o câncer de pâncreas depende da extensão do tumor e pode envolver cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou uma combinação dessas abordagens. A detecção precoce, muitas vezes difícil devido à natureza silenciosa da doença, é crucial para um tratamento eficaz.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
betano Mapa do site